Seja Dizimista

Rádio Catedral

rdio

Litugia Diária

 

Facebook

Normas pastorais para o sacramento do batísmo

1- Os pais e padrinhos de batismo façam uma preparação séria e, de preferência, na própria Comunidade, Paróquia ou Rede de Comunidades. Recomenda-se que o tempo e conteúdo mínimo, sejam definidos pelas Regiões Pastorais.

2- Crianças, até 7 anos, não precisam de preparação.

3- Crianças, dos 7 a 12 anos, façam juntamente a catequese de preparação para a primeira Eucaristia.

4- Para jovens e adultos, a preparação seja adaptada às suas circunstâncias e idades, em maior profundidade, com a participação na Comunidade e se atenda à preparação completa para todo o Rito da Iniciação Cristã.

5- O batismo de adolescentes, jovens e adultos, é de toda a conveniência que se faça na Vigília Pascal, com o rito próprio, incentivando, assim a liturgia e a vivência pascal.

6- Admite-se um padrinho ou madrinha de batismo, podendo ser também as duas pessoas. A idade mínima exigida para os padrinhos é de 16 anos. Devem levar uma vida de acordo com a fé e a responsabilidade que vão assumir.

7- O respeito à cultura do povo ajuda-nos a dialogar com a família, para aprofundar o seu compromisso com a Comunidade.

8- Quando um dos dois, pai ou mãe, não for católico, tenha-se o cuidado, na preparação, do respeito à sua posição religiosa, ao amadurecimento de sua opção, à liberdade no pedido e assumência do batismo dos filhos, numa abertura à vida da Comunidade.

9- Não se pode negar o Batismo a ninguém. Quando pai e mãe, vivendo juntos, não são casados religiosamente e não tenham impedimento para se casarem, é importante o empenho da Comunidade em levá-los ao matrimônio, dando assim valor à vivência sacramental. Quando for pedido o batismo para filhos de pais que não podem se casar e de pais e mães solteiros(as), é importante uma especial atenção pastoral, caso por caso. O ministro e a comunidade dêem atendimento caridoso ao acompanhamento pastoral dos batizandos e seus pais.

10- O Batismo seja feito, de preferência, na Comunidade ou Paróquia de origem ou onde os pais participam por algum vínculo afetivo. Para que sejam os pais admitidos em outra Paróquia, que o(a) Ministro(a), forneça por escrito, uma apresentação da criança acompanhada do comprovante de preparação ou de acordo com as orientações da Região Pastoral.

11- A celebração do Batismo seja feita na Igreja paroquial ou lugar de celebração da Comunidade. Se houver motivo grave para realizar a celebração numa casa, é necessária a permissão do Ordinário (Bispo ou Vigário Geral), (cânon 860), exceto em perigo de morte.

12- Sempre se registre o Batismo na Paróquia ou Comunidade onde for realizado. Enquanto possível, se ofereça uma lembrança ou certidão.

13- Não deve haver taxa ou cobrança de emolumentos, por ocasião da administração dos sacramentos. É importante, nos encontros de preparação, que se despertem a consciência e a co-responsabilidade dos cristãos para com a manutenção dos serviços comunitários, mediante a implantação ou fortalecimento do Dízimo.

14- As equipes do Batismo, de preparação e celebração, trabalhem em conjunto com a Pastoral Familiar e em comunhão com toda a Comunidade, Rede de Comunidades ou Paróquia.

15- Os ministros(as) extraordinários(os) do Batismo sejam convenientemente preparados e participem da vida da Comunidade. Necessitam da autorização, por escrito, do Arcebispo para o exercício do ministério numa determinada Comunidade, Paróquia ou Rede de Comunidades. Que a escolha e aprovação dos ministros(as) do Batismo sejam indicados pela Comunidade e Conselho, autorizados pelo pároco e confirmados pelo bispo.

16- Anotações sobre a validade do Batismo em outras Igrejas:

a) Batizam validamente:

- Igrejas Orientais, que não estão em plena comunhão com a Igreja católico-romana, em geral conhecidas como ortodoxas;
- Igreja Episcopal Anglicana;
- Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil;
- Igreja Evangélica Luterana do Brasil;
- Igreja Metodista.

b) Igrejas que não têm urgência de batizar, mas, quando batizam, o fazem validamente:

- Igrejas presbiterianas;
- Igrejas batistas;
- Igrejas congregacionais;
- Igrejas adventistas;
- Igrejas Pentecostais que usam a fórmula trinitária: “Eu te batizo, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”;
- Exército de Salvação.

c) Igrejas, de cujo batismo se pode prudentemente duvidar.

Por isto, deve-se batizar, sob condição:
- Igrejas Pentecostais que utilizam a fórmula: “Eu te batizo em nome do Senhor Jesus”;
- Igrejas Brasileiras;
- Mórmons.

d) Batismo certamente inválido:
- Testemunhas de Jeová;
- Ciência Cristã;
- Grupos de Umbanda.

Praça Dom Emanuel, s/n Setor Central – Goiânia-GO 74030-140
E-mail: contato@catedralgo.com.br
Telefone: (62) 3223-4581 / 3225-0339 Fax: (62) 3229-4115